quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Restauração e Multiplicação - Jó e Sua Humilhação

"Quem dera as minhas palavras fossem registradas! Quem dera fossem escritas num livro, fossem talhadas a ferro no chumbo, ou gravadas para sempre na rocha! Eu sei que o meu Redentor vive, e que no fim se levantará sobre a terra. E depois que o meu corpo estiver destruído e sem carne, verei a Deus. Eu o verei, com os meus próprios olhos; eu mesmo, e não outro! Como anseia no meu peito o coração!” (Jó 19:23-27)
  
SEIS ÁREAS NA VIDA DE JÓ QUE FORAM ATINGIDAS PELO MAL.

1. Seus bens materiais.
“Aleluia! Como é feliz o homem que teme o Senhor e tem grande prazer em seus mandamentos! Seus descendentes serão poderosos na terra, serão uma geração abençoada, de homens íntegros. Grande riqueza há em sua casa, e a sua justiça dura para sempre.” (Salmos 112:1-3).

Na relação de bens do capítulo 1 versículos 13 a 17 estão relacionados 7.000 ovelhas, 3.000 camelos, 500 jutas de boi e 500 jumentos. Portanto, podemos afirmar que Jó realmente era um homem muito rico.

2. Seus filhos e filhas.
“Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá. Como flechas nas mãos do guerreiro são os filhos nascidos na juventude. Como é feliz o homem cuja aljava está cheia deles! Não será humilhado quando enfrentar seus inimigos no tribunal.” (Salmos 127:3-5).

Se levarmos em conta as atitudes de Jó em relação aos seus filhos, concluiremos que eles eram sua maior riqueza.

I – Oferecia sacrifícios por eles.
“Seus filhos costumavam dar banquetes em casa, um de cada vez, e convidavam suas três irmãs para comerem e beberem com eles. Terminado um período de banquetes, Jó mandava chamá-los e fazia com que se purificassem. De madrugada ele oferecia um holocausto em favor de cada um deles, pois pensava: "Talvez os meus filhos tenham lá no íntimo pecado e amaldiçoado a Deus". Essa era a prática constante de Jó.” (Jó 1:4-5).

II – Encabeçavam a lista de coisas valiosas que possuía.
“Tinha ele sete filhos e três filhas.”(Jó 1:2).

III – Grande lamento quando soube da morte dos filhos.
“Enquanto ele ainda estava falando, chegou ainda outro mensageiro e disse: "Seus filhos e suas filhas estavam num banquete, comendo e bebendo vinho na casa do irmão mais velho, quando, de repente, um vento muito forte veio do deserto e atingiu os quatro cantos da casa, que desabou. Eles morreram, e eu fui o único que escapou para lhe contar!" Ao ouvir isso, Jó levantou-se, rasgou o manto e rapou a cabeça. Então prostrou-se no chão em adoração.” (Jó 1:18-20)

3. Seu casamento.
“Quem encontra uma esposa encontra algo excelente; recebeu uma bênção do Senhor.” (Provérbios 18:22).

I - Sua fé vacilante ao contemplar o estado deplorável do marido.
“Saiu, pois, Satanás da presença do Senhor e afligiu Jó com feridas terríveis, da sola dos pés ao alto da cabeça. Então Jó apanhou um caco de louça com o qual se raspava, sentado entre as cinzas. Então sua mulher lhe disse: "Você ainda mantém a sua integridade? Amaldiçoe a Deus, e morra!" Ele respondeu: "Você fala como uma insensata. Aceitaremos o bem dado por Deus, e não o mal? " Em tudo isso Jó não pecou com os lábios. (Jó 2: 7-10).

II - A dificuldade que esta tinha de aproximar-se de Jó por causa de suas chagas.
“Minha mulher acha repugnante o meu hálito.” (Jó 19:17-A)

4. Sua saúde.
“Amado, oro para que você tenha boa saúde e tudo lhe corra bem, assim como vai bem a sua alma.” (3 João 1:2).

“Pele por pele”, filosofia diabólica que sugere que a fé e a justiça de uma pessoa se baseia nas bênçãos que Deus concede.

I – Saúde física.
"Pele por pele!", respondeu Satanás. "Um homem dará tudo o que tem por sua vida. Estende a tua mão e fere a sua carne e os seus ossos, e com certeza ele te amaldiçoará na tua face." (Jó 2:4-5).

II – Saúde emocional.
"Por isso não me calo; na aflição do meu espírito me desabafarei, na amargura da minha alma farei as minhas queixas.” (Jó 7:11).

5. Suas amizades.
“O amigo ama em todos os momentos; é um irmão na adversidade.” (Provérbios 17:17).

I – Deles não recebeu nenhum apoio ou palavra amiga, apenas acusações.
“Pois agora vocês de nada me valeram; contemplam minha temível situação, e se enchem de medo.” (Jó 6:21).

II – Se mostraram vazios no tempo da aflição e adversidade de Jó.
"Um homem desesperado deve receber a compaixão de seus amigos, muito embora ele tenha abandonado o temor do Todo-poderoso. Mas os meus irmãos enganaram-me como riachos temporários, como os riachos que transbordam quando o degelo os torna turvos e a neve que se derrete os faz encher, mas que param de fluir no tempo da seca, e no calor desaparecem dos seus leitos. As caravanas se desviam de suas rotas; sobem para lugares desertos e perecem. Procuram água as caravanas de Temá, olham esperançosos os mercadores de Sabá. Ficam tristes, porque estavam confiantes; lá chegaram tão-somente para sofrer decepção.” (Jó 6:14-20).

6. Sua honra.
“A boa reputação vale mais que grandes riquezas; desfrutar de boa estima vale mais que prata e ouro.” (Provérbios 22:1).

I – Sentiu a dor da solidão e do desamparo.
"Ele afastou de mim os meus irmãos; até os meus conhecidos estão longe de mim. Os meus parentes me abandonaram e os meus amigos esqueceram-se de mim.” (Jó 19:13-14).

II – Isolado e desrespeitado por seus próprios empregados.
“Os meus hóspedes e as minhas servas consideram-me estrangeiro; vêem-me como um estranho. Chamo o meu servo, mas ele não me responde, ainda que eu lhe implore pessoalmente.” (Jó 19:15-16).

III – Desprezado pelos que antes lhe pediam conselhos.
“Até os meninos zombam de mim, e dão risada quando apareço. Todos os meus amigos chegados me detestam; aqueles a quem amo voltaram-se contra mim.” (Jó 19:18-19).
  
PORÉM TEVE UMA ÁREA DA VIDA DE JÓ QUE O MAL NÃO CONSEGUIU ATINGIR.

1. Sua vida espiritual.
“Bendiga ao Senhor a minha alma! Não esqueça de nenhuma de suas bênçãos!” (Salmos 103:2)

I – Um adorador sincero.
“Ao ouvir isso, Jó levantou-se, rasgou o manto e rapou a cabeça. Então prostrou-se no chão em adoração, e disse: "Saí nu do ventre da minha mãe, e nu partirei. O Senhor o deu, o Senhor o levou; louvado seja o nome do Senhor ". Em tudo isso Jó não pecou nem de nada culpou a Deus.” (Jó 1:20-22).

II – Detentor de uma fé incondicional no Redentor que vive.
“Eu sei que o meu Redentor vive, e que no fim se levantará sobre a terra.” (Jó 19:25).

III – Uma inabalável esperança no prêmio da vida eterna.
“E depois que o meu corpo estiver destruído e sem carne, verei a Deus. Eu o verei, com os meus próprios olhos; eu mesmo, e não outro! Como anseia no meu peito o coração!” (Jó 19:26-27).




Palavra ministrada na IPR – Igreja Presbiteriana Renovada de Chapadão do Sul-MS na noite de 18/01/2012 na Campanha ‘Vencendo 2012 Com Fé e Oração’.

2 comentários:

Antonio Batalha disse...

Seu blog é uma bênção, li algumas coisas, e dou graças pela Graça derramada sobre si, que a cada dia continue a ser esta bênção.Aquilo que escreve seja como pão para o faminto, e água para o cansado.E que cada irmão ao ler suas mensagens seja edificado, exortado no amor derramado no seu coração, a sua alegria, paz e graça, cresçam de maneira a transbordar seu cálice, e atingir os corações.Aproveito a fazer-lhe um convite: Gostaria que fizesse parte dos meus amigos virtuais em meu blog A Verdade Que Liberta. Deixo as minhas cordiais saudações em Cristo Jesus.

D'ARTES disse...

Uma benção essa palavra.
Daise Dantas